quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Leitura e Interpretação 4º e 5º Ano

Os três desejos

Era uma vez um lenhador que morava com sua esposa em uma pequena cabana na floresta. Eles eram pobres, porém muito felizes... se amavam muito. Eles sempre costumavam dividir tudo o que tinham com quem batesse à sua porta.

Certo dia, o lenhador teve que trabalhar na floresta. Sua mulher ficou cuidando da casa e apareceu um velho à porta. Ele disse estar muito faminto e a mulher tinha pouca comida em sua casa. Mesmo assim, dividiu com ele.

O velho comeu com vontade e disse:

- Deus me enviou até sua casa para testá-la. Você e seu marido sempre dividem as coisas que têm com outras pessoas. Deus quer lhes dar um presente especial por causa de sua generosidade.

- E qual é esse presente?

- Você e seu marido podem fazer três desejos, que eles se tornarão realidade.

- Gostaria tanto que meu marido estivesse aqui para ouvir isso... – disse a mulher, transbordando de felicidade.

Em um minuto, seu marido estava lá. Seu primeiro desejo havia se tornado realidade.

- O que aconteceu? – perguntou o lenhador – Eu estava na floresta e agora estou aqui!

Sua mulher o beijou e explicou tudo o que havia acontecido. Ele ouviu a história e ficou furioso. Logo, começou a gritar com a mulher.

- Você gastou um de nossos desejos! Agora, só temos dois sobrando. Você deveria ter orelhas de burro!

No mesmo instante, as orelhas de sua esposa começaram a crescer. Elas se transformaram em grandes orelhas de burro. A mulher começou a chorar e seu marido se sentiu muito mal pelo que havia dito.

- Vocês nunca tinham gritado um com o outro antes. Vocês ficaram diferentes. – disse o velho – Vocês sabem que têm o poder de enriquecer. Ainda há um desejo. Vocês querem ser ricos? Talvez queiram ter roupas bonitas?

- Só queremos ser felizes novamente, como éramos antes. – disse o lenhador.

As orelhas de burro desapareceram. O lenhador e a esposa ficaram muito felizes.

- Pessoas pobres também podem ser felizes. Há muitas pessoas ricas que são infelizes. Deus irá lhes dar a maior felicidade que um casal pode ter. – disse o velho antes de partir.

Poucos meses depois, a mulher engravidou e o casal teve um lindo bebê. A família do lenhador viveu feliz para sempre.

( conto porto-riquenho, traduzido por Janaína Spolidorio )

Atividades

1. Coloque as informações na ordem em que aparecem no texto. Escreva 1 no que acontece primeiro e assim sucessivamente.

_____ As orelhas de burro desapareceram.

_____ O lenhador e sua esposa tiveram um bebê.

_____ O lenhador ficou bravo com sua esposa.

_____Um velho veio à casa do lenhador.

_____O lenhador desejou ser feliz novamente.

_____A mulher desejou que seu marido estivesse lá.

_____ O velho disse que o casal teria três desejos.

_____ Orelhas de burro apareceram na esposa.

2. Complete as lacunas com informações da história lida:

Um ___________ e sua esposa viviam muito felizes juntos. Eles _______________ tudo o que tinham com outras pessoas.

Certo dia, um velho foi à casa deles e disse à mulher que Deus havia concedido três ______________ ao casal. A mulher ficou tão entusiasmada, que acabou fazendo um desejo ______________ porque ela não pensou antes de falar. O lenhador começou a ___________ com ela e desejou que ela tivesse orelhas de ___________. Elas só desapareceram quando o lenhador desejou que eles fossem _______________ novamente.

O casal logo teve um bebê e sua família sempre foi muito feliz.

3. Responda:

a. Por que o velho foi até a casa do lenhador?

Resposta: ___________________________________________

___________________________________________________

b. Qual presente ele ofereceu ao casal?

Resposta: ___________________________________________

___________________________________________________

c. Quais foram os três desejos do casal?

Resposta: ___________________________________________

___________________________________________________________________________________________________________

d. De que forma os desejos mudaram a vida do lenhador e da esposa?

Resposta: ____________________________________________

___________________________________________________

4. Complete a tabela de acordo com as informações do texto lido:

Desejo número

Quem fez?

O que desejou?

Um



Dois



Três



5. Na sua opinião...

a. Por que nem sempre a riqueza traz felicidade?

Resposta: ____________________________________________

____________________________________________________

b. O que faz você feliz?

Resposta: ____________________________________________

____________________________________________________

c. O que faz você ficar infeliz?

Resposta: ____________________________________________

_________________________

Retirei do blog da Professora Janaína

O Pavão

E considerei a glória de um pavão ostentando o esplendor de suas cores; é um luxo imperial. Mas andei lendo livros, e descobri que aquelas cores todas não existem na pena do pavão. Não há pigmentos. O que há são minúsculas bolhas d’água em que a luz se fragmenta, como em um prisma.O pavão é um arco-íris de plumas.
Eu considerei que este é o luxo do grande artista, atingir o máximo de matizes com o mínimo de elementos. De água e luz ele faz seu esplendor; seu grande mistério é a simplicidade.
Considerei, por fim, que assim é o amor, oh! minha amada; de tudo que ele suscita e esplende e estremece e delira em mim existem apenas meus olhos recebendo a luz de teu olhar. Ele me cobre de glórias e me faz magnífico.

(BRAGA, Rubem. Ai de ti, Copacabana. Rio de Janeiro: Record, 1996, p. 120)

1 - No 2º parágrafo do texto, a expressão: ATINGIR O MÁXIMO DE MATIZES, significa o artista:

(A) fazer refletir, nas penas do pavão, as cores do arco-íris.
(B) conseguir o maior número de tonalidades.
(C) fazer com que o pavão ostente suas cores.
(D) fragmentar a luz nas bolhas d’água.

2 - O poeta compara a beleza das cores do pavão com o Amor. Retire do texto fragmentos que comprovem essa comparação.
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

TEXTO 02
No 1º quadrinho, a fala do personagem pode ser substituída por:
(A) “Quer namorar comigo?”
(B) “Você é muito bonita para mim!”
(C) “Você é muito simpática!”
(D) “Você é muito humilde!”

TEXTO 03


Considere o seguinte trecho:
Em vez do médico do Milan, o doutor José Luiz Runco, da Seleção, é quem deverá ser o responsável pela cirurgia de Cafu. Foi ele quem operou o volante Edu e o atacante Ricardo Oliveira, dois jogadores que tiveram problemas semelhantes no ano passado.
O termo “ele”, em destaque no texto, refere-se:
a) ao médico do Milan.
b) a Cafu.
c) ao doutor José Luiz Runco.
d) ao volante Edu.
e) ao atacante Ricardo Oliveira.


O cão e o osso

Autor desconhecido

Um dia, um cão, carregando um osso na boca, ia atravessando uma ponte. Olhando para baixo, viu sua própria imagem refletida na água. Pensando ver outro cão, cobiçou-lhe logo o osso que este tinha na boca, e pôs-se a latir. Mal, porém, abriu a boca, seu próprio osso caiu na água e perdeu-se para sempre.


”Mais vale um pássaro na mão do que dois a voar!”


O texto que você leu é uma fábula e, como toda fábula, tem uma moral, um ensinamento. Qual a moral dessa história? Explique:
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

O Caracol Invejoso

O caracolzinho sentia-se muito infeliz. Via que quase todos os animais eram mais ágeis do que ele. Uns brincavam, outros saltavam. E ele aborrecia-se debaixo do peso de sua carapaça!
- Vê-se que meu destino é ir devagarinho, sofrendo todos os males! dizia ele, bastante frustrado.
Seus amigos e familiares tentavam consolá-lo, mas nada conseguiam.
- Caracolino, pense que, se a Natureza lhe deu essa carapaça, para alguma coisa foi, disse-lhe a tartaruga, que se encontrava em situação semelhante à dele.
- Sim, claro, para alguma coisa será! Pode explicar-me a razão? perguntava Caracolino, ainda mais chateado por receber tantos conselhos.
Caracolino tornou-se tão insuportável por suas reclamações, que todos o abandonaram. E ele continuava com sua carapaça às costas, cada vez mais pesada para o seu gosto.
Um dia, desabou uma tempestade. Choveu durante muitos dias. Parecia um dilúvio! As águas subiram, inundando tudo. Muitos dos animaizinhos que ele invejara, encontravam-se agora em grandes dificuldades. Caracolino, porém, encontrou um refúgio seguro. Dentro de sua carapaça estava totalmente protegido!
Desde então, compreendeu a utilidade de sua lenta e pesada carapaça. Deixou de protestar, tornando-se um animalzinho simpático e querido por todos.
(Autor Desconhecido)


Por que o Caracolzinho era infeliz?


Caracolino falava sempre que tinha um destino na vida. Qual era ele?




Os amigos de caracolino acabaram por abandoná-lo. Qual foi o motivo?


Um dia um acontecimento mudou o modo de pensar do caracolzinho. O que houve? A que conclusões Carolino chegou?


No final do texto, vemos que Carolino finalmente encontrou a felicidade. Explique:

Retirado do blog. paracolorir.com

2 comentários:


Criado no siteVocê na capa de NOVA ESCOLA.